My Sunshine and My Rain

«you're crazy when you think that i will let you in(...)and you're fool enough to hope that you could ever really know(...)"

quarta-feira, março 21, 2007

só te quero

Não te amo, quero-te: o amar vem d'alma.
E eu n'alma - tenho a calma,
A calma - do jazigo.
Ai! não te amo, não.

Não te amo, quero-te: o amor é vida.
E a vida - nem sentida
A trago eu já comigo.
Ai, não te amo, não!

Ai! não te amo, não; e só te quero
De um querer bruto e fero
Que o sangue me devora,
Não chega ao coração.

Não te amo. És bela; e eu não te amo, ó bela.
Quem ama a aziaga estrela
Que lhe luz na má hora
Da sua perdição?

E quero-te, e não te amo, que é forçado,
De mau feitiço azado
Este indigno furor.
Mas oh! não te amo, não.

E infame sou, porque te quero; e tanto
Que de mim tenho espanto,
De ti medo e terror...
Mas amar!... não te amo, não.


Almeida Garrett
[secundário... já desde o secundário. ora vais... ora me fazes querer ficar. contigo. por mim.
i really want you to stay.]

5 Comments:

  • At 11:41 da manhã, Blogger eli said…

    um "amor" ou amor, que permance durante todo este tempo e contra tudo vai lutando e mantendo-se vivo.
    quem sabe um dia...u secalhar é mesmo melhor assim, dentro de ti sem sair cá para fora ;)
    bjinho me amori

     
  • At 10:26 da tarde, Blogger Mary Jo said…

    poema lindo esse.um amor, um amar, um gosto, um gostar... tudo se completa.é bom reler este poema..

    Almeida Garret, ficara sempre na nossa memoria.lol

    ti gosto minha flor alentejana********

    kiss*
    [[ ]]

     
  • At 12:44 da manhã, Blogger xary said…

    enquanto lia o poema pensava "por favor que não seja garrett" mas acabou por ser. é como gostar e não (o) querer. ou querer e não gostar do que esse querer nos faz. lol.

    e entre querer e amar pode haver uma linha ténue. um sentimento de indecisão constante. mas no aqui fica o que é para ficar. o resto corre para apanhar o passo.

    beijo grande homónima * :)

    [] <3 love u millions (mas não te quero muahaha ;P)

     
  • At 11:57 da tarde, Blogger marina said…

    ainda tinha uma vaga lembrança desse poema... são de facto sentimentos ou emoções confusas. e traçar a barreira entre elas pode ser messy...

    take care =) ****************

     
  • At 7:58 da tarde, Blogger paddy said…

    Oh, adoro este poema!

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home